domingo, 24 de maio de 2015

tristeza invadia
e eu mal sabia
que essa ausência de alegria
era o desperdício de energia
que aglutinava
a vontade descabida
de ser alguém na tua vida.
desisti
pra ser alguém na minha vida
todavia, deixei pra traz essa ideia
dessa falsa simetria.

quinta-feira, 2 de abril de 2015

ESQUERDOMACHO

Discute machismo e o que não é: com uma mulher.
Na teoria é defensor das mulheres e contra abusos/abusadores, na prática consola os abusadores e acha que expulsá-los de algum movimento é "demais".
O feminismo é massa, até que uma mulher fique à frente de algo.
Contra a exploração das mulheres mas não contribui nas tarefas domésticas.
Quando chegam novatas no movimento ficam logo em cima.
Prega o relacionamento aberto e se a mulher não consegue naturalizá-lo é porque ela é uma ciumenta possessiva.
Corta a fala das companheiras.
É contra a exploração do corpo das mulheres mas bate uma vendo fotos de companheiras.
Se uma feminista não quer transar com ele, indaga logo a liberdade sexual dela -alô, parça, liberdade sexual também tem a ver com liberdade de escolha.
Até apoia o movimento, mas não entende porque não pode estar incluso nele.
Trai a namorada.
Apoia o feminismo mas não problematiza prostituição, pornografia e indústria do sexo. Muito menos PENSA em parar de consumir essas coisas.
E abrir mão de privilégios. Cadê?
Se diz contra à violência contra a mulher, mas numa discussão, grita com a companheira.
Se diz pró-feminista mas usa termos como "vagabunda", "vadia" e etc. ao se referir a uma mulher.
Quando uma mulher problematiza algo que ele falou (ou até outro homem) ela é "louca", "desequilibrada", "exagerada"; quando não ficam chorando tentando argumentar de qualquer jeito.
Vem com discurso pró-feminista pra paquerar meninas.
Se a namorada tem ciume, sem problematizar o porquê, diz logo que ela tem que desconstruir isso, porque ciume é "opressor", "posse" e etc.
Namora uma feminista mas não dá espaço pra ela falar quando as pessoas falam sobre feminismo para ele -ela estando do lado dele.
(ad infinitum)

domingo, 1 de março de 2015

companheira/o
me reconheço em ti
e nos reconhecemos
no povo que luta
no povo que sofre
no povo que sente
que devemos ser tratadas/os como gente
cantemos, lutemos, gritemos
para que esse mundo possa ser
o mundo que queremos
sejamos gritos, luta, amor
povo presente
na militância e na dor
resistência, oposição
sem união não há revolução!

domingo, 8 de fevereiro de 2015

os desejos da carne
a gente controla
ou devora?
amor antigo
que se mistifica
ainda volta?
amor do presente
num futuro próximo
há de estar ausente?
atrações, inquietações
coisas da mente
coisa da gente
o amor emudece a gente
o amor transforma
o amor revigora
e o que a gente faz
quando ele vai embora?
coração nublado
oscila
como o dia

ora tempestade
ora calmaria.
o amor dança
uma eterna melodia suave
no jardim

pés criando raízes
num solo fértil
onde logo irá florir

florescendo
a gente se multiplica
nessa liberdade
de estar aqui e ali

liberdade de dentro pra fora
leveza de ser
a gente rega o amor todos os dias
para flores-
ser.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

se um dia
poetisa eu for
saiba que tu estarás presente
nos poemas que falam de amor
se um dia
poetisa eu for
vou colorir a dor
perfumá-la como flor
e torná-la bonita
para que apreciem
sua importância
no dia-a-dia
a dor faz a gente crescer
e o amor nos expande
tornando-nos poesia.
mulher,
deseja ser
o que tu és!

que seja puta,
santa ou dama
na rua
ou em cima da cama

que seja uma
em todas
que sejamos todas
em uma

que sejamos amigas, companheiras, irmãs
nunca rivais

que se aceite
e que nunca deixe de ser
por outro querer

gorda, magra
branca, negra
lisa ou crespa

m-u-l-h-e-r
e suas mil facetas

hetero, gay ou bi
cis ou travesti
temos o direito de amar, sim!

sejas livre, mulher!
tu és guerreira.
lutas contra o patriarcado
e contra esse machismo escancarado.

ame
ame-se
amem-se!

que esteja só
ou com seu conjugue
mas, nunca julgue

apenas viva, mulher
apenas deixem que vivam!
e sinta
que unidas
somos mais fortes
não somos inimigas

o patriarcado tem poder
mas o feminismo nos liberta
e a sororidade
faz com que a gente se trate
com amor e igualdade.

sábado, 10 de janeiro de 2015

Venha cá
se o sentido da vida
é c i r c u l a r
que mal há
se além, dessa saia eu rodar
eu rodada 
ser
também?

domingo, 28 de dezembro de 2014

Carlos acha o governo corrupto. "O governo é sujo", ele diz. E por que ele é sujo, seu Carlos? 
- Ora, porque ele é corrupto!
Carlos é servidor público federal e não gosta de trabalhar como servidor público federal. Ele gosta é do salário de um servidor público federal.
Nas segundas, ele chega mais tarde em casa para trair sua esposa e estaciona o seu carro numa vaga para deficientes. E chega em casa com perfume da amante.
Quando vai enfrentar alguma fila, dá um "migué" e a fura.
Nos domigos, ele sai com uns amigos para beber, conversar e jogar poker. Carlos volta para casa dirigindo bêbado, ouvindo a rádio, numa estação sobre política e resmunga "nam! tudo corrupto."
Carlos chega cansado -porque teve um dia cheio- às duas da madrugada, gritando porque não tem comida na mesa. Acorda a mulher. Grita mais. Ela, sonolenta, pede para dormir só mais um tiquinho e ele a levanta puxando-a e empurrando-a.
Ele espera a comida ficar pronta enquanto assiste algo na tv, ao som do choro tímido da esposa.
- Ô, meu bem. Já disse que te amo hoje? Você é linda. - Ele diz.
A tv a cabo de Carlos é gato. A energia da casa dele, também.
Carlos reclama aos berros, às três da manhã, que não existe mais pessoa digna nesse país. Diz que não vai votar em ninguém, porque nenhum político presta. Todos roubam. Todos são corruptos. Enquanto Carlos resmunga, Maria, sua esposa, com olhos inchados e assustada, põe a mesa.
- Esse país é uma vergonha! Diz Carlos, tentando sintonizar a TV.
- Esse governo é sujo! Esse governo é corrupto. O que você acha, amor? Tá insatisfeita com o nosso governo também? Fala Carlos, com a boca cheia... de comida e insatisfeito com essa política.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

ame-se
por fora
e por dentro
para que tu
respire amor
a todo momento
ame-se
por dentro
e por fora
e não se contente
com migalhas
em nenhuma hora.

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

acho que não dá,
não!
sinto falta de excitação
de ardência na tua boca
dos desejos da tua mão

meu coração vira um tambor
ao te ver
bate tão rápido
que acho que chego a desfalecer

tu me ensinou a voar
concertou minhas asas quebradas
que nunca tinham me feito voar
no máximo uns pulos
com pousos incertos

certa na certeza
que dói trair o meu sentir
mas é melhor pensar em ti
e em mim

racionalizar não é fácil
queria eu
com minhas asas novas
voar sobre tuas histórias

virei andorinha
e esse ano não vai ter verão
voarei sozinha
pela contramão.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

estar
sem procurar
motivos para ficar.
ficar
pelo bel prazer
de estar
sem se acomodar.
arder.
sentir.
reconhecer o amor
em si.
reconhecer o amor
em ti.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Quero renascer poesia Em tua pele Desenhando com a minha lingua Pintando com teus suspiros Todos os dias.